FASETE - Faculdade de Sete de Setembro

Revista Rios Eletrônica

Revista Eletrônica da Faculda Sete de Setembro - FASETE
ISSN 1982-055


Edição 2018 - n. 15

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE MULHERES RESIDENTES NO NORDESTE BAIANO SOBRE AS LESÕES DO COLO UTERINO

Vanessa Simões Sandes Walois / Érika Santos Nunes

RESUMO

O modelo biomédico, ainda hegemônico, distancia o encontro de culturas durante a abordagem a mulher acometida por lesões do colo uterino. Este estudo objetivou compreender as representações sociais de mulheres rurais da cidade de Paulo Afonso – Bahia sobre o acometimento por lesões do colo uterino assimcomo pelo câncer cervical. Trata-se de um estudo de campo exploratório-descritivo, com abordagem qualitativa, tendo a entrevista individual semiestruturada como técnica para coleta de dados. As participantes foram mulheres residentes em comunidades rurais, acima de 18 anos, que apresentassem lesões do colo uterino ou câncer cervical e que estivessem cadastradas e recebendo cuidados nas Unidades de Atenção Básica em Saúde no município. A entrevista foi dividida em dois momentos, o primeiro onde a entrevistada respondeu a questões de identificação geral e o segundo no qual procedeu-se a entrevista propriamente dita. A coleta dos depoimentos foi finalizada após ter sido atingida a saturação dos dados, quando os relatos começavam a se repetir regularmente. Nos discursos foi possível perceber que as principais representações relacionadas a patologia são tristeza, medo e raiva. Quando questionadas sobre o exame Papanicolau a grande maioria expressou sentimento de vergonha. O câncer do colo uterino e suas lesões causam grande mudança na rotina da mulher, além disso o sentimento de desconfiança passa a sombrear a relação conjugal. Entender essas questões subjetivas auxiliam na proximidade da relação profissional de saúde / paciente melhorando as perspectivas e o entendimento entre os diálogos no que tange o enfrentamento da doença.

PALAVRAS-CHAVE: Representações Sociais. Câncer do colo uterino. HPV

ABSTRACT

The biomedical model, still hegemonic, avoids the link between different cultures during the assistance to the woman who suffers from lesions in the cervix. This paper aimed to understand the social representations of women in the countryside of the city of Paulo Afonso, state of Bahia, about the incidence of lesions in the cervix and the of cervical cancer. It is an exploratory-descriptive field research with qualitative approach that used the individual semi-structured interview as tool for collecting data. The participants were women who live in countryside communities, over 18 years old, that presented lesions in the cervix or cervical cancer, that were registered and in treatment in the Basic Health Care unities of the city. The interview was divided in two parts; in the first one, the interviewee answered general identification questions, and in the second one, the testimonies of the women were collected. The data gathering was completed when all data needed was effectively collected. In the participants’ speeches, it was possible to verify that the main feelings about the pathology are sadness, anger and fear. When questioned about the pap smear test, most of them expressed embarrassment. The cervical cancer and its lesions cause great changes in the woman’s life, besides, the feeling of mistrust begin to affect the conjugal relationship. To understand these subjective questions help in the approximation of the relationship between the health care professional and the patient, improving the perspectives and the understanding of their dialogues during the fight against the disease.

KEYWORDS: Social representations, cervical cancer, HPV.

PDF


Conteúdo da revista

Pesquisa

Indexadores

  • LatIndex
  • LivRe!
  • LivRe!

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino LTDA
Rua Vereador José Moreira nº 1000 - Perpétuo Socorro - CEP: 48603-004 - Fone/Fax: (75) 3501-0777 - Paulo Afonso - Bahia - Brasil